terça-feira, 17 de março de 2009

O LOUVOR QUE DEUS QUER

Deus não quer ser louvado por ser Ele um Deus egoísta e exibido.Ele quer ser louvado porque, o louvor que recebe dos homensé uma evidência de que o Seu AMOR para com eles é CORRESPONDIDO!A Bíblia, a Palavra de Deus, diz que fomos formados para celebrar o louvor a Deus (Is 43.7,21). O Louvor é uma forma de exaltar alguém ou alguma coisa, através de elogios, que podem ser expressos das mais variadas maneiras. Louvar é exaltar. Como dizem por aí, elogiar é “encher a bola” de alguém ou de alguma coisa. O louvor torna evidente o quanto damos valor em algo ou alguém. Sendo assim, quando se louva a Deus, demonstra-se o valor que damos a Deus, reconhecendo as Suas qualidades (e Deus tem muitas, viu!). O louvor é, na verdade, uma das inúmeras formas de se adorar a Deus. E, em si mesmo, não diz nenhum respeito à música, ao contrário daquilo que muitos pensam.Deus nos formou por causa de Seu grande amor, para que pudéssemos nos relacionar com Ele, sendo, acima de tudo, amados, antes mesmo de existirmos e, por incrível que pareça, antes mesmo de existir o próprio mundo (Ef1.4-6)! Em Jeremias 31.3a, Deus nos diz: “Com amor eterno eu te amei; por isso, com benignidade te atraí.” Vive o Senhor, e bendita seja a nossa Rocha!!! Esta “pequena grande” passagem das Escrituras Sagradas revela-nos que Deus age bondosamente para conosco a fim de nos ter bem próximos d’Ele! Ele quer nos ter pertinho d’Ele, por isso age com misericórdia para conosco, e isso não é emocionante?! Aleluia! Exaltado seja Deus! Ele nos amou primeiro, diz a Bíblia em 1 Jo 4.9. Mas... e nós? será que temos correspondido a tão grande amor? É Deus correspondido?Quando enxergamos a Deus em nosso dia a dia e nas coisas que existem, isto é, observando a Criação e o modo como ela “funciona” (Rm 1.19.20; Sl 19.1), observando os acontecimentos do curso de nossa vida e da vida das outras pessoas (Jó 33.12-22), passamos a enxergar também as Suas qualidades, e então elogiamos a Ele; correspondemos ao Seu amor! E isso é tudo o que Deus quer: QUE O CORRESPONDAMOS! A prova disso é que, através da Bíblia, percebemos que Deus também sente “dor de cotovelos” (com todo o respeito), por causa de um amor não correspondido (veja Dt 32.15). Deus não quer ser elogiado apenas nas ocasiões em que tudo está tranqüilo em nossa vida. Ele também quer ser louvado e admirado quando tudo vai mal, pois Ele nunca deixa de ser bom, amável, fiel, poderoso, e, também, movido por inefável amor, trabalha e realiza proezas só por nossa causa (Is 64.4; 2 Rs 6.16)! Veja a grandeza da seguinte verdade revelada em Sua Palavra: “Não há outro, ó amado, semelhante a Deus, que cavalga sobre os céus para a tua ajuda e com a sua alteza sobre as nuvens.” (Dt 33:26). Veja o que o salmista disse: “Ora, Deus, meu Rei, é desde a antigüidade; ele é quem opera feitos salvadores no meio da terra.” (Sl 74.12). Portanto, Ele é sempre digno de ser louvado (Sl 34.1; 18.3; 145.3). Quando louvamos a Deus em todas as circunstâncias, mostrando assim, fidelidade, amor e confiança n’Ele, evidenciamos a correspondência que temos pelo Seu amor por nós. Ele é amor (1 Jo 4.16) e nos fez por amor, e para amar, 1) a Ele, acima de tudo e 2) a nós mesmos e às pessoas, em segundo lugar (Mc 12.30-33). Uma coisa eu te digo: O nível do seu amor para com Deus é revelado nas diversas circunstâncias da sua vida, e, atenção, Ele está de olho em você, para ver se você entende o que Ele quer (“Do céu, olha Deus para os filhos dos homens, para ver se há quem entenda, se há quem busque a Deus.” [Salmos 53:2]). É exatamente como eu disse: “Ele está de olho em você”! E quero me dirigir a você com algumas perguntas: Quando você louva a Deus? Em quais ocasiões você costuma louvar a Deus? Onde você louva ao Senhor? Por quais razões você O louva? Como você O louva? Estas são algumas perguntas que você deve fazer e responder a si mesmo, pois: AS RESPOSTAS REVELARÃO A VOCÊ MESMO, O NÍVEL DO SEU AMOR PARA COM O SEU DEUS (grave isto!)! Quando O louvamos em qualquer situação, ou seja, quando não tiramos os olhos d’Ele, então Ele sorri, pois é tomado por um sentimento de alegria! Ele se agrada, pois sabe que fazendo isso estaremos no centro de uma vida de acordo com os Seus planos e de bênçãos, enfim, estaremos no centro de uma vida realmente feliz! Mas, o que é ser feliz, afinal? Provavelmente esta pergunta seja feita em todo o mundo, por aqueles que não sabem o que é verdadeiramente ser feliz. De que depende a felicidade? Onde está fundamentada a sua? Onde você procura a sua? Quero lhe dizer que nada do mundo pode trazer a verdadeira alegria a alguém, você sabia? O que constituía a alegria do “irmão” que compôs o Salmo 119, por exemplo? Ele revela: “Os teus testemunhos, recebi-os por legado perpétuo,porque me constituem o prazer do coração.” (Sl 119:111) Meu amado irmão, talvez a grande maioria dos crentes sabe que o Salmo 119 é o maior capítulo não só do Livro dos Salmos, mas de toda a Bíblia. É um salmo realmente... “rico” não seria uma palavra ideal para expressar o seu valor. “Riquíssimo” também não! “Mais que tremendo”... Acho que não há palavras que possam definir a grandeza (no valor) do Salmo 119! Alguns comentaristas até tentam, chamando-o de “obra-prima”, “extraordinário poema”, “meditação elaborada, engenhosa e apaixonada sobre a Lei do Senhor”, etc. Em verdade, em verdade te digo que ele é mais do que tudo isso! É um salmo de louvor Deus e à Sua Palavra, à sua sabedoria! Ele exalta, “nos seus 176 versos”, a Palavra de Deus; a Lei de Deus; os preceitos e estatutos do Senhor. Através desse salmo, o autor (que não se sabe ao certo quem seja a tal “figura”), expressa o seu amor ao Senhor e a Sua Lei (Seus ensinamentos)! Ele mostra a Deus que o Seu amor é correspondido! O comentarista diz sobre o salmo: “A significação primária de sua magnitude é a absorvente paixão de um coração concentrado no mais alto bem que é revelado em Deus (cfr. Fp 3.7-14) - Novo Comentário da Bíblia (NCB), SBB. Mas o que eu quero que você observe, é que ele, quando compôs este “poema de louvor” ao seu Deus, não estava nos seus “melhores dias” do ponto de vista humano. No verso 7, ele diz ao Senhor: “Estou aflitíssimo; vivifica-me, Senhor, segundo a tua palavra.” Ele não estava vivendo um bom momento (olhando de um ponto de vista humanamente circunstancial). Mas veja que ele diz que o prazer do seu coração são os testemunhos do Senhor, por isso, recebeu-os por herança (legado) perpétua; por isso ele se compromete a induzir o seu próprio coração a guardar os decretos de Deus “para sempre, até o fim” (verso 112)! O salmista estava “aflitíssimo”, mas estava LOUVANDO, EXALTANDO a Deus com uma oração espontânea, porque decidiu-se em assim fazê-lo! Veja o que ele diz ao Senhor, um verso depois de dizer que estava “mal”: “Aceita, Senhor, a ESPONTÂNEA OFERENDA dos meus lábios...” (verso 108, ênfase minha). E em seguida: “estou de contínuo em perigo de vida, todavia, não me esqueço da tua lei” (verso 109). Ele diz, no verso 81: “Desfalece-me a alma, aguardando a tua salvação; porém espero na tua palavra.”! Esta é a atitude que Deus espera de cada um de seus filhos, e o modelo nos foi deixado!Você tem sempre uma ESPONTÂNEA OFERENDA DE LOUVOR NOS LÁBIOS, para oferecer a Deus nos tempos de aflição? O que você faz quando está “AFLITÍSSIMO”? Qual a sua atitude? Põe-se a reclamar, duvidar, blasfemar, ou a oferecer a Deus uma oferenda de louvor? O que Deus espera de você nessa hora? Você precisa chegar a esta doce conclusão (se ainda não o fez): O que constitui a minha alegria, não é o que eu tenho de material, não é o meu físico e nem o que há ao meu redor; é, antes, o que DEUS É em Si mesmo e EM MIM, e ainda, o que EU SOU n’Ele! E isso é tudo o que realmente importa! “A alegria do Senhor é a vossa força”, diz a Escritura (Ne 8.10). Sendo assim, alegria do Senhor em mim, isto é, que eu sinto, é o que me faz FORTE! E quero aproveitar a oportunidade para deixar claro algo que muitas pessoas acabam entendendo errado: A alegria do Senhor a que se refere a Escritura acima, não é a que o nosso Senhor sente, mas a que o Senhor nos faz sentir; a que vem d’Ele! A alegria do Senhor independe das circunstâncias, pois o Senhor Deus está acima de qualquer circunstância! A alegria do Senhor independe também de tempos ou épocas, pois o Senhor, nosso Deus, está acima dos tais, pois é eterno e habita na eternidade, nossa futura morada! A alegria do Senhor, o Onipotente Deus, independe das coisas materiais ou naturais, pois Ele é Espírito e criou todas as coisas, quer visíveis, quer invisíveis, tanto no céu como na terra (Cl 1.16) e nos deu um espírito também, que se relaciona com o Seu! Bom, a alegria do Senhor só depende de uma coisa: DE ESTARMOS PLANTADOS JUNTO AO SEU RIBEIRO: JESUS CRISTO DE NAZARÉ (Sl 1.3), O “RIO, cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo.” (SL 46:4)!!! E eu pergunto a você: Quem é “santuário de Deus”? Quem é “morada do Altíssimo”? Eu sou! Você é? Todos nós, Seus filhos, o somos, ou você não sabe que é santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em você? (1 Co 3.16)! O Rio de Deus corre em nós e nos traz alegria INCONDICIONAL! Aleluia! Aquele que está plantado junto ao Rio de Deus, é feliz, independente do que esteja se passando com ele, “Porque ele é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor [quando as coisas começam a ‘apertar’], mas a sua folha fica verde [sua esperança não ‘murcha’]; e, no ano de sequidão [na época das aflições, os dias maus, os quais o faz ‘aflitíssimo’], não se perturba, nem deixa de dar fruto [não perde a alegria, não deixa de crer e nem tampouco de apresentar louvores ao Senhor, seu Deus e Rochedo!].” (Jr 17:8, acréscimos meus). Exaltado seja Deus, a Rocha que nos Salva! A Sua Palavra não é mesmo “fora de série”?! Então, a “ALEGRIA DO SENHOR” não está fundamentada no dinheiro, nem nas amizades, nem nos bens materiais e nem nas circunstâncias. Veja que eu não estou dizendo que estas coisas não nos trazem alegria. Não é isso que quero dizer! O meu objetivo aqui (e estou bem certo de que este objetivo é, na verdade, primariamente do Senhor), é levar você a meditar sobre QUAL SEJA O FUNDAMENTO (A BASE) DE SUA ALEGRIA/FELICIDADE! Essas coisas todas que mencionei há pouco, são, sem a menor dúvida, coisas de Deus para nós. Certamente, Ele as fez para o nosso bem-estar! A natureza, por exemplo, o sol, a chuva, os animais, os lugares, a relação conjugal, a atração física, a família, a amizade, os bens, a tecnologia, as habilidades, a saúde, enfim, tudo isso e muito mais, foi criado por Deus para proporcionar o bem-estar de Sua melhor e mais amada “obra-prima” do universo: EU E VOCÊ! Mas quero que você mergulhe comigo a um nível um pouco mais profundo: E SE LHE FALTAREM ESSAS COISAS? E se você as perder? E se elas se forem? O que vai ser de você? O que será de sua fé? O que será de sua felicidade? Você ainda será verdadeiramente feliz? O QUE SERÁ DE SEU LOUVOR A DEUS? Você ainda será capaz de louvá-Lo? O QUE SERÁ DA DIGNIDADE DE DEUS EM RECEBER TODO O LOUVOR? Você está compreendendo para onde quero te levar? Um certo dia, há muitos séculos no passado (provavelmente há uns 2.700 anos atrás), um certo homem, chamado Jonas, fez uma grande oração de louvor a Deus que entrou para a História. Onde Jonas estava quando fez aquela oração? Qual era a circunstância em que estava vivendo? Veja Jonas 2, mas principalmente os versos 7 a 10! O profeta Habacuque também deixou o seu exemplo de que a alegria do Senhor é a nossa força! Ele também orou de forma “magnífica” (se é que essa palavra possa descrever a beleza, riqueza, grandeza e importância da oração em forma de cântico que um dia escreveu a Deus - considerada uma das mais ricas de toda a Bíblia) também em um dia “mal”, “de aflição”, assim como o autor do Salmo 119 (em verdade quero dizer a você que esses dias em que estamos “mal”, são os dias que podem ser os mais felizes de nossas vidas, se colocarmos nossos olhos no Senhor! Então, esses dias, mudando o foco de nossa visão, são os melhores!). Ao invés de reclamar, duvidar, blasfemar, Habacuque ofereceu a Deus uma “oferenda dos lábios”, um cântico de louvor a Deus. É só estudar todo o capítulo 3 de seu livro, e compreenderá a magnitude de um coração grato e independente das circunstâncias externas. Mas faço questão de compartilhar com você os últimos e gloriosos versos:“AINDA QUE a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, TODAVIA, EU ME ALEGRO NO SENHOR, EXULTO NO DEUS DA MINHA SALVAÇÃO.O SENHOR DEUS É A MINHA FORTALEZA, e faz os meus péscomo os da corça, e me faz andar altaneiramente.A o mestre de canto. Para instrumentos de cordas.”(Hc 3:17-19 – ênfase minha) A alegria do Senhor, como disse e podemos ver na passagem acima, independe das circunstâncias, dos tempos ou épocas e de coisas materiais ou naturais! Aleluia! Ou seja: Ainda que a natureza se confundisse toda, e a situação do profeta, que já estava um tanto complicada (Hc 1 e 2), viesse a piorar muitas vezes mais, ELE CONTINUARIA ALEGRE, ALEGRE E ALEGRE; EXULTANTE, pois a sua felicidade não estava fundamentada em nada deste mundo, mas antes, EM DEUS, fonte de sua força e alegria plena! É este “O LOUVOR QUE DEUS QUER”! Bom, este é mesmo um assunto muito amplo e gostoso de se falar, mas acho que já falei demais, considerando que o presente texto não se trata de um livro, mas de um artigo sobre louvor!A mensagem, é que o louvor que Deus quer não se limita às nossas condições emocionais ou físicas! Ele não está preso a isto! O efeito de “louvado seja o Senhor” quando tudo vai bem, por exemplo, é muito diferente de um “louvado seja o Senhor” quando tudo vai mal! Neste último caso, a “atmosfera” é outra. As reações no coração e no meio onde vivemos são outras! Tudo fica diferente e sobrenatural (acima da dimensão natural e lógica)! Este é o louvor que Deus anseia receber de mim e de você!!! É como o próprio Deus, na pessoa do Filho, Jesus Cristo, ensinou: Se amamos só as pessoas mais próximas e boas para nós, que recompensa teremos? Qualquer um faz isso (Mt 5.46; Lc 6.32)! Se fizermos o bem aos que nos fazem o bem, qual será a nossa recompensa? Até os pecadores fazem isso (veja Lc 6.33,34)! Não estou ensinando que não teremos recompensa nenhuma em louvar a Deus quando tudo vai bem, mas, se fizermos isso quando as coisas vão mal, o efeito e recompensa serão muito maiores! Isso também não quer dizer que Jeová é um Deus mau e que humilha os seus adoradores, e que procede de forma carrasca para com eles. Longe disso! Jeová é Deus, Único Deus, totalmente verdadeiro e fidedigno (digno de confiança por ser extremamente fiel), e que através de um proceder fiel e incondicional de nossa parte para com Ele, nos dará tudo de que realmente precisamos para ser feliz! Ele quer somente o bem para o homem, para todos os homens (2 Pe 3.9), não faz acepção de pessoas (At 10.34; Ef 6.9) – a sua alegria é para qualquer pessoa na face da terra que viva de acordo com Suas vontades -, e sabe que, se formos fiéis em fazermos a Sua suprema vontade, seremos felizes! E ele ainda fez questão de nos passar o “mapa da mina” (Mt 5.1-12 e todo o restante da Bíblia)!Os louvores a Deus, ou as verdades sobre Deus declaradas por nós, têm o poder de possuírem “roupagens diferentes” para cada situação na vida. A questão é que, mesmo sabendo de alguma verdade, queremos declará-la apenas quando se está fácil fazê-lo, ou quando sentimos vontade! Não é isso o que Deus nos disse que quer de nós em 1 Ts 5.18! Valores maiores são descobertos quando optamos por declará-las quando se é difícil fazê-lo! E isso é realmente algo simplesmente fantástico, como eu mesmo tenho experimentado, pela graça de Deus! Nunca, mas nunca mesmo, pense duas vezes antes de louvar ao seu Deus!!! Há vários motivos pelos quais podemos louvar a Deus em tudo, e em todas as circunstâncias, sermos GRATOS a Ele, e, se o Senhor permitir, estarei os expondo no livro “O LOUVOR QUE DEUS QUER” e em “POR QUE EU DEVERIA DAR GRAÇAS EM TUDO?”.CONCLUSÃO: O “Louvor que Deus Quer” é um LOUVOR INCONDICIONAL, sincero, movido por amor e confiança plena n’Ele (1 Ts 5.18)!!! O “Louvor que Deus Quer”, é um louvor fruto de uma alegria e satisfação interior, produzidas não somente por coisas externas a nós (de fora para dentro), mas principalmente por algo que vem de dentro (de dentro para fora), gerado pelo Espírito Santo de Deus (a presença de Deus em nós, que está acima de tudo)! Na verdade, este é o louvor que Deus quer, não pelo louvor em si mesmo, uma vez que Deus não precisa do louvor de ninguém, mas porque ele é produzido pelo tipo de “LOUVADOR” que Deus quer, ou seja, na verdade, Deus está mesmo interessado é nos “LOUVADORES” e não nos LOUVORES em si mesmos! É como o próprio Jesus disse em Jo 4.23: Deus procura por ADORADORES, e não por ADORAÇÃO! A verdadeira adoração brota da vida do VERDADEIRO ADORADOR, revelando que tal pessoa corresponde ao amor de seu Criador! Por isso, exaltado seja Deus! Bendito seja o Seu glorioso nome!.......&&&&&&&&&&&&&&&&&&.......Agradeço a Deus e A TODOS VOCÊS pela oportunidade dada às pessoas de multiplicarem os talentos dados por Deus, através da Internet! E sugiro a você, leitor, que se Deus lhe deu algo que possa ser multiplicado através desse site e outros, faça-o, em nome e para a glória de Jesus!Um grande abraço! Que a graça e paz te sejam multiplicados no pleno conhecimento de Deus e de Cristo Jesus, nosso Senhor, e até a próxima, se o Senhor permitir...

Um comentário:

  1. Sou pesquisador da net, Saiba o real significado do RA-TIM-BUM em nosso site

    http://www.assembleiabelem.br22.com/word/forum1.html

    Saiba alguns significado de algumas palavras em nosso blog, aprenda para ensinar

    Saiba qual o erro do novo CD da damares

    http://www.assembleiabelem.br22.com/word/musica4.html

    Aproveite e Acesse nosso site

    www.assembleiabelem.br22.com

    ResponderExcluir